Por Epeda Em Press Releases Atualizada em 23 JUL 2018 - 17H46

Colchões Epeda: mitos e verdades na hora de conservar seu colchão

Qual a hora de trocar o lado do colchão? Antes de mais nada, é preciso saber se seu produto é one side ou double side

Colchões Epeda: mitos e verdades na hora de conservar seu colchão

Qual a hora de trocar o lado do colchão? Antes de mais nada, é preciso saber se seu produto é one side ou double side.

Com oito décadas de experiência, a Epeda é pioneira na fabricação de colchões de mola no Brasil. Por isso, a marca do Grupo Flex sabe como nenhuma outra a melhor maneira de conservá-los por mais tempo.

“É preciso seguir as orientações corretas, pois até extremos na preservação do produto podem causar danos aos seus materiais”, esclarece Satye Inatomi, gerente de Marketing da Flex do Brasil. Como resultado, não só as molas, mas estrutura do box, estofado e outros itens podem ter uma vida útil menor do que o esperado. Um bom colchão de molas pode durar mais de sete anos, mas é preciso atentar para alguns detalhes básicos.

Hoje em dia é possível dividir os colchões de mola entre dois tipos, one side e double side. Como os próprios nomes já indicam, os produtos one side dispensam a troca de face do colchão, sendo necessário somente virá-los em 180º. Nos seis primeiros meses de uso, gire-o a cada 15 dias. Depois desse período, faça o mesmo a cada 30 dias. Os double side requerem o mesmo cuidado com a mesma periodicidade, mas devem também ter suas faces revezadas, além do giro.

Outras medidas dizem a respeito ao uso cotidiano do produto. “Apesar de ser convidativo, principalmente para crianças, é importante evitar saltos em cima do colchão. Já algumas pessoas pensam em manter o plástico do colchão no mesmo, para preservá-lo. Trata-se de um excesso de cuidado, já que os materiais precisam receber ventilação para melhor conservação. Aliás, ventile seu colchão periodicamente. Se a ideia é proteger o produto, instale um protetor, vendido separadamente”, recomenda Inatomi. Em caso de necessidade de limpeza, utiliza produtos específicos para estofados.

Também não deixe a embalagem plástica entre a base (cama) e o seu colchão em si. É fundamental descartá-la corretamente, já que o uso inadequado desse material, principalmente por crianças, pode trazer risco de asfixia. Já o uso de ferro de passar roupas, utilizando o colchão como tábua de passar, também pode comprometer a integridade do material, além de deixar possíveis manchas. Também não apoie objetos pesados e pontiagudos, que podem rasgar a cobertura de tecido.

Gasto e uso natural

O objetivo de um colchão é garantir uma boa noite de sono, toda noite. Por isso, é natural que seu uso provoque um desgaste inevitável – daí a importância de medidas como o rodízio, já que ele distribui esse o uso em diversas áreas do colchão. As pequenas bolinhas que surgem ao longo do tempo no tecido do revestimento também não afetam a qualidade do colchão, pois são apenas resultado do atrito do estofado com outros tecidos, como os lençóis.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0
 

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Epeda, em Press Releases

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.